terça-feira, 24 de abril de 2012

É hora de abandonar a vaidade

Ótimos textos da Ultimato! Isso é só o começo, vale a pena ler toda essa edição, principalmente pq nos tempos de hoje o narcisismo impera de cima para baixo. É bom sempre nos lembrarmos para que fujamos desse caminho! E para os que já estão nele e caíram, se levantem do tombo.


Naquele que Vive e reina.


Imagem inline 1

Leif Ekström: está na hora de pedirmos ao Senhor que nos dê mais espinhos bem encravados na carne

A tendência ao orgulho e à presunção é, sem dúvida, uma das mais perniciosas tentações que o cristão enfrenta, principalmente se for pastor ou exercer outra liderança na igreja. Elogios, agradecimentos, homenagens e a frequente bajulação fazem surgir, facilmente, um sentimento de satisfação que pode levar ao orgulho e à presunção. É muito difícil lidar com este pecado chamado orgulho. Outras áreas, como a moral, a sexualidade ou a ganância, são mais facilmente detectáveis. O orgulho está dentro de nós e pode ser disfarçado com uma falsa humildade.
 
Sinceramente, sinto que está na hora de pedirmos ao Senhor que nos dê mais espinhos bem encravados na carne, para aprendermos que nada podemos com nossas próprias forças, capacidades e dons. Só seremos fortes quando formos fracos. Será que temos coragem de orar: "Senhor, manda mais espinhos à tua igreja e aos seus pastores"?
(Fonte: "Jornal Luz nas Trevas", 8/2011, p. 4)
 
• Leif Ekström é pastor da Igreja Korskyrkan, na Suécia.

Guilherme Ávilla Gimenez: é hora de abandonar a vaidade e deixar a liderança, se necessário

A vaidade é um problema social. Muitas pessoas, em nome da vaidade, já fizeram verdadeiras loucuras apenas para manter a aparência ou fingir algo que não são.

Há muitos líderes vaidosos. Em geral, fazem de um cargo ou uma posição a oportunidade para exercitarem sua vaidade, ainda que isso tenha um alto custo para seus liderados e até para a organização. Há várias histórias de líderes que arruinaram muita gente porque foram dominados pela vaidade e perderam a noção da realidade, da honestidade e até mesmo da própria dignidade.

O problema principal de líderes vaidosos é que raramente admitem seus erros. A vaidade os cega de tal forma que se tornam donos da verdade e começam a criticar tudo e todos sem, no entanto, perceberem suas próprias falhas.

Para manterem a vaidade, esses líderes comprometem valores, ética, moral, verdade e outros elementos indispensáveis na liderança.

Líderes vaidosos, à semelhança de Lúcifer, são narcisistas. O desejo de primazia é tão intenso que acabam cometendo vários erros, que determinam seu fracasso e consequente juízo.

Qualquer ação movida por vaidade é perigosa. Líderes inteligentes fogem da vaidade e líderes comprometidos com os valores bíblicos simplesmente a abominam.

Você é vaidoso e tem exercido sua liderança em meio a narcisismo, obsessão, bajulação e outros sentimentos destrutivos? É hora de abandonar a vaidade, reconhecer os erros e confessá-los, bem como corrigi-los com um coração manso e disposto a ouvir aqueles que podem ajudar.

Em vez de manter-se em um cargo ou posição apenas para ser reconhecido como "líder", é mais sábio ser humilde, deixar a liderança, se necessário, e crescer em conhecimento, sabedoria, instrução, para então, mais tarde, com humildade, poder assumir novamente a liderança.

(Fonte: "O Jornal Batista", 11/09/2011, p. 3)
 
• Guilherme Ávilla Gimenez, pastor da Igreja Batista Betel e professor da Faculdade Teológica Batista de São Paulo

Provérbios de Salomão: o caminho mais curto para o tombo é a soberba

Talvez não haja outro livro da Bíblia tão contundente contra o pecado da soberba quanto os Provérbios. Ele associa a queda, o fracasso e o escândalo ao orgulho, como se pode ver em seguida.
 
Deus zomba dos que zombam dele e ajuda os humildes (3.34, NTLH).
 
Eu odeio o orgulho e a falta de modéstia (8.13, NTLH).
 
Quando vem o orgulho, chega a desgraça, mas a sabedoria está com os humildes (11.2, NVI).
 
Brigas e discussões são provocadas pelo orgulho, mas as pessoas humildes aceitam conselhos e se tornam sábias (13.10, NBV)
 
O Senhor detesta todos os orgulhosos; eles não escaparão do castigo, de jeito nenhum (16.5, NTLH).
 
A desgraça está a um passo do orgulho: logo depois da vaidade vem a queda (16.18, NBV).
Mais vale ter um espírito humilde e estar junto dos oprimidos do que partilhar das riquezas dos orgulhosos (16.19, NBV).
 
Quem vive se gabando está correndo para a desgraça (17.19, NTLH).
 
Antes de sua queda o coração do homem se envaidece, mas a humildade antecede a honra (18.12, NVI).
 
Os maus são dominados pelo orgulho e pela vaidade, e isso é pecado (21.4, NTLH).
 
Você quer saber o que há no coração de um homem que vive zombando de tudo e de todos? Orgulho, convencimento, ódio e atrevimento (21.24, NBV).
 
Para conseguir riqueza, respeito dos homens e uma vida feliz, você precisa ser humilde e temer o Senhor (22.4, NBV).
 
Não se engrandeça na presença do rei, e não reivindique lugar entre os homens importantes; é melhor que o rei lhe diga: "Suba para cá!", do que ter que humilhá-lo diante de uma autoridade (25.6-7, NVI).
 
O homem é derrotado pelo seu orgulho, mas o de espírito humilde será respeitado (29.23, NBV).

0 bereianos:

Postar um comentário