domingo, 20 de janeiro de 2008

Em Busca de um Aiatolá Evangélico

O que vocês acham desta notícia?? Concordam ou discordam do autor??
 
No início eu discordei, mas no final já estava concordando. rs
 
Vamos discutir, povo!!!!
 
Anvante, soldiers!
 
Paz do Rei Jesus Cristo.
 
 
Em Busca de um Aiatolá Evangélico

     
Já escrevi algumas vezes sobre a questão Igreja X Estado. Este é um assunto que, volta e meia entra nas rodas de debates, tendo em vista a sede que a religião tem de alcançar o poder político e a sede que os políticos têm de fazer de Deus seu maior cabo eleitoral.

Esta semana um fato me chamou a atenção e foi publicado em alguns jornais de circulação nacional: o vereador petista José Wildes submeteu ao plenário da Câmara Municipal de Porto Velho–RO um projeto de lei que institui Jesus Cristo como o único salvador daquela cidade.

A matéria foi aprovada em primeira votação, e se aprovada num segundo escrutínio, poderá ser sancionada pelo prefeito uma lei municipal com os seguintes termos:

"Art. 2º - Fica declarado, profeticamente, Jesus Cristo como único senhor e salvador da cidade de Porto Velho.

I – Consagra a cidade de Porto Velho a serviço de Deus, para a honra, glória e louvor no poder de Jesus Cristo;

II – A cidade de Porto Velho renuncia toda obra realizada no passado de prostituição, impureza, lascívia, ruínas, homicídios, roubos, corrupção, idolatria, feitiçaria, tráfico de drogas, prostituição infantil e toda maldição de primeira, segunda, terceira e quarta geração da cidade de Porto Velho;

(...)

IV – Declara que a cidade de Porto Velho terá uma geração santa e eleita pertencente ao senhor Jesus Cristo."


Parece piada, mas não é!!! O caso é sério!!! Seriíssimo!!!

A busca evangélica pelo poder terreal parece agora mostrar sua cara, sem vergonha nenhuma de corromper a verdade das escrituras e, principalmente, afrontar o próprio Senhor Jesus com uma lei em "seu nome".

Como será que, em nome de Cristo, se comete tal heresia? "O meu reino NÃO É DESTE MUNDO. Se o meu reino fosse DESTE MUNDO, os meus ministros se empenhariam por mim..." Quem disse isso foi o próprio Jesus em João 18.36

Não!!! O reino de Jesus não é deste mundo. Querer forçar um povo a "engolir" goela abaixo o senhorio de Jesus é um absurdo. "Não por força, nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor."

Tenho dito (não só eu, mas outros escritores e pregadores) que o povo "evangélico" não vai sossegar enquanto não implantar um "Talibã cristão", onde católicos, espíritas e pessoas de outra religião sofrerão na pele a dor de não pertencerem à "família de Deus". Como cristão protestante, tenho vergonha disso!

Minha vontade ao ler uma matéria dessa é a de enfiar a cabeça na terra e fingir que eu não existo. Dá raiva e pena ver um povo tão medíocre e mesquinho na busca do poder.

O Estado laico não pode permitir tal atrocidade à liberdade religiosa de outros credos. Assim como não gostaria de ver a minha liberdade religiosa tolhida de alguma forma pelos poderes constituintes, jamais posso querer ver o quadro inverso, onde quem não pensa como eu deva forçosamente abraçar um credo que seu coração não professa.

Eu gostaria muito de ver o Brasil rendido aos pés do Senhor Jesus, mas não dessa forma infantil, grotesca, com que a maior parte de nossas igrejas hoje quer: pela decretação de leis infundadas, pelo "mover" de atos proféticos que de proféticos não têm nada e não passam de atos "patéticos".

Se queremos ver o Brasil salvo, comecemos por nós mesmos... a exercermos justiça com o pobre, a respeitar o próximo, a cumprir as leis federais, a denunciarmos a corrupção e não nos calarmos em troca de concessões de rádios e TVs, a mostrar que realmente temos a "mente de Cristo", amando e respeitando cada um em sua individualidade.

Esse pensamento messiânico político foi o mesmo que levou Jesus à cruz..

Falta ao povo que diz ter a Bíblia como Palavra de Deus entender que somos "peregrinos" e "forasteiros" (1 Pedro 2.11) aqui neste mundo... que "estamos no mundo, mas não somos do mundo" (João 17.16), mas ao mesmo tempo Jesus ora não para que Deus nos tire do mundo, mas que nos livre do mal (João 17.15).

Falta nos libertarmos dessa teologia exdrúxula de maldições hereditárias e mapeamentos espirituais, que nada têm a ver com a veracidade das Escrituras. Não adianta declarar Jesus como salvador de uma cidade e pensar que por um decreto humano os corações serão transformados. Isso é criancice, infantilidade, e mais, traz em si mesmo fortes doses de desequilíbrio psicológico e desconhecimento histórico.

A fusão entre religião e Estado proporcionou algumas das maiores barbáries que este mundo já viu: As cruzadas e o massacre de crianças e dissidentes na "Noite de São Bartolomeu"... as inquisições, tanto católicas quanto protestantes... os terroristas do islã...

Que Deus nos livre de um povo que, em seu nome, faz exatamente aquilo que Ele jamais faria.

NEle, que chama "quem QUISER vir após mim..."

José Barbosa Junior

0 bereianos:

Postar um comentário