segunda-feira, 6 de setembro de 2010

VIDA: O que eu digo aqui te interessa, leitor?

"O que eu digo aqui te interessa, leitor? Como dizer algo a alguém? Como despertar o interesse?"
por Juliana Ayres
http://2.bp.blogspot.com/_8wUAZk_AkEQ/S_w04AX3irI/AAAAAAAACI0/PzW5M597iMk/S1600-R/VIDA_foto5+Luana+Navarro+pq.jpg
Sábado (4.9.10) fui ver a peça "Vida", no Coliseu. AMEI!! O projeto foi inspirado na obra de Paulo Leminski, na verdade é uma colagem de textos dele.

4 atores: (Giovana Soar) irritante e engraçada, (Nadja Naira) inspiradora e calada - que até incomoda, Rodrigo Ferrarini (provocador, que nos traz à tona a todo instante) e Ranieri Gonzalez (melancólico e despertador de sensações).
Aí vocês me perguntam: É sobre o que a peça?
É sobre o tudo e sobre o nada, sobre a vida e sua complexidade, sobre o que ela poderia ser e não foi, sobre o que ela foi e poderia não ser. Sobre nossa existência e sobre cada marcante latida de cachorro cortando o silêncio em cada noite.
Aliás, o que achei + incrível na peça, além dos atores ótimos, foi esse texto sobre os cachorros... um monólogo sobre a solidão dos cães que latem à noite. Como eles puderam tirar tanta coisa incrível do latido do cachorro?

Saí de lá com sensação de quero mais, masssssss, quase todos os ingressos já estão esgotados e a que eu queria ver, "Jerusalém", esgotou semana passada. :O/

Que peça inteligente.... que atores ótimos! Fiquei em choque com a interpretação do ator Ranieri González de uma música que só tem gemidos e que falam mais que mil palavras. Ele foi incrível, externou ali a dor que nenhuma palavra poderia expressar tão bem quanto os gemidos.
A parte musical da peça foi uma arte à parte! INCRÍVEL!

Outra coisa, como eles podem decorar textos tão difíceis e aparentemente "desconexos"?

Resumo essa peça: Musical, Inteligente, poética, engraçada, incômoda e deliciosa. 2 horas que passaram como 20 minutos de tão bom.
Quem puder veja!
Fazia tempo que não ia ao teatro, valeu Mirada!

Por favorrrrrrrrr, preciso saber o nome das músicas q foram tocadas nessa peça!!! Se alguém souber, me envie um email: julianaayres@gmail.com
Leminski: "A interrogação é o próprio fundamento do diálogo, o reconhecimento da diferença entre o eu, que eu sou, e o eu que o outro é,
separados e próximos pela prática da linguagem, hiato e ponte
"

0 bereianos:

Postar um comentário