sábado, 24 de abril de 2010

Sobre todas as coisas, uma maravilhosa interpretação de Maria Rita - análise

Sobre todas as coisas, uma maravilhosa interpretação de Maria Rita - análise
por Juliana Ayres


Primeiro assistam esse vídeo e depois leiam o post abaixo:


Abri meu e-mail há um tempinho atrás, e me deparei com o e-mail do Pr. Renato Vargens me convidando a ler a matéria que escreveu e ver o vídeo que postou. Me deparei com Maria Rita, filha de Elis, cantando uma canção de Edu Lobo e Chico Buarque. Uma linda interpretação.

Confesso que fiquei paralisada com o vídeo. Fiquei uns minutos calada, pensando e refletindo no dom que Deus deu a essas pessoas e que, infelizmente, não é usado somente para honra e glória dEle.

Não sou consumidora de música secular, nem ouço muito, mas, algumas coisas ainda ouço de vez em nunca pq tomo conhecimento na mídia, afinal, todos ouvem. Quem não vê tv? quem não vê filme?
Apreciso a música como arte e, como arte, deve ser reconhecida quando é boa. Assim como apreciamos um bom filme que não é cristão, um bom livro, etc, etc e etc.

Não postei nada aqui no Beréia Urbana sobre esse post pq não tive tempo, mas hj deu e fui rever o post do pastor Vargens e ler a letra, atentamente, pq quando a música é linda, geralmente, não atentamos para a letra. Um exemplo disso são as músicas seculares na língua inglesa, onde muitas só falam besteira e achamos a música linda e não prestamos atenção na letra ou procuramos saber.

Digo isso pq já fui do mundo e 99% das pessoas que conheço são assim.

Quando vi o vídeo acima, apesar da música que é linda, reparei algo estranho na letra.... vê se você nota também:

SOBRE TODAS AS COISAS
Composição: Edu Lobo/Chico Buarque de Hollanda

Pelo amor de Deus
Não vê que isso é pecado, desprezar quem lhe quer bem
Não vê que Deus até fica zangado vendo alguém
Abandonado pelo amor de Deus

Ao Nosso Senhor
Pergunte se Ele produziu nas trevas o esplendor
Se tudo foi criado - o macho, a fêmea, o bicho, a flor
Criado pra adorar o Criador

E se o Criador
Inventou a criatura por favor
Se do barro fez alguém com tanto amor
Para amar Nosso Senhor

Não, Nosso Senhor
Não há de ter lançado em movimento terra e céu
Estrelas percorrendo o firmamento em carrossel
Pra circular em torno ao Criador

Ou será que o deus
Que criou nosso desejo é tão cruel
Mostra os vales onde jorra o leite e o mel
E esses vales são de Deus

Pelo amor de Deus
Não vê que isso é pecado, desprezar quem lhe quer bem
Não vê que Deus até fica zangado vendo alguém
Abandonado pelo amor de Deus

"Não vê que Deus até fica zangado vendo alguém, Abandonado pelo amor de Deus" ---> Parece q a pessoa foi abandonada por Deus. Não tem pontuação separando uma coisa da outra.

"Ao Nosso Senhor Pergunte se Ele produziu nas trevas o esplendor, Se tudo foi criado - o macho, a fêmea, o bicho, a flor, Criado pra adorar o Criador" ---> Como é uma coisa só, parece que tudo nesta frase é uma negativa, por exemplo: Deus não produziu nas trevas o esplendor e tudo - o macho, a fêmea, o bicho, a flor, tbem não foi criado p/ adorá-Lo.

"Não, Nosso Senhor, Não há de ter lançado em movimento terra e céu, Estrelas percorrendo o firmamento em carrossel, Pra circular em torno ao Criador" --->
dEle, por Ele e para Ele são TODAS as coisas.

"Ou será que o deus" --->
Não sei se esse "d" minúsculo é proposital ou erro de digitação pq não vi o encarte, se alguém tiver, por favor, me avise.

Que criou nosso desejo é tão cruel
Mostra os vales onde jorra o leite e o mel
E esses vales são de Deus"
--->
A sensação que dá aqui é que o pensamento está incompleto: "ou será", parece que há uma possibilidade de Deus ser cruel! Deus não é cruel! Tudo o que Ele fez e faz é perfeto.

Isso foi o que atentei, pode até ter mais coisas estranhas na letra que passou batido aos meus olhos.

Edu Lobo, Chico Buarque, dentre tantos outros músicos e poetas seculares são, sim, pessoas de grande talento, mas essa letra é de dúbia interpretação, dá a entender tanto uma coisa como outra: que Deus é e que Deus não é, que é para Ele e que não é para Ele, que Ele é bom e que Ele não é bom.
Como eles estão na ignorância, falam o que querem, como entendem e como acham que as coisas são. Não é novidade, qm foi do mundo sempre pensou coisas a respeito de Deus que não faziam parte da essência do Pai, mas falávamos com toda convicção.

Com eles não é diferente. É por isso que devemos filtrar tudo o que assistimos, lemos e ouvimos, mas isso não significa que eles não sejam talentosos e que a interpretação não tenha sido linda.

Naquele que é Bom e Perfeito,

Juliana Ayres.

Deixo abaixo um trecho do texto do Pr. Vargens:

Sobre todas as coisas. Uma maravilhosa interpretação de Maria Rita

Por Renato Vargens

Deus estabeleceu como ordem a graça comum. E que esta é a fonte de toda, cultura, e virtude comum que encontramos entre os homens. Em outras palavras isto significa que Deus em sua infinita graça fez com que o sol nascesse sobre o justo e o injusto, e mandasse chuva sobre o bom e o mau. Entre as bênçãos mais comuns que devem ser atribuídas a esta fonte, podemos enumerar a saúde, a prosperidade material, a inteligência em geral, os talentos para a arte, música, oratória, literatura, arquitetura, comércio, invenções e etc.

0 bereianos:

Postar um comentário