terça-feira, 15 de setembro de 2009

10 acusações contra a igreja moderna

DOWNLOAD:
PDF AVI (breve) WMV (breve) MP4 (breve)


TRANSCRIÇÃO:

Dez acusações contra a igreja moderna

Por Paul Washer






Décima Acusação – Uma substituição do que as Escrituras dizem a respeito à família pelo que a Psicologia e a Sociologia dizem.

Eu tenho uma décima acusação e esta é muito importante para mim, sendo um homem mais velho com uma família jovem. Eu não havia me casado até os 30 anos de idade. Minha esposa teve algo como um pequeno tumor cerebral pelos primeiros oito anos. Nós não podíamos ter filhos e, louvado seja Deus, uma criança nasceu, e depois outra, e depois outra, e depois, quem sabe?

A Psicologia e a Sociologia têm substituído as Escrituras no que diz respeito à família. Meus queridos amigos, pastores e líderes, pensem nisto. Nossas igrejas ou nossos cultos dominicais – melhor dito – são tão cosméticos. Apenas porque parece haver uma adoração bonita e um sermão que foi legal e as pessoas parecem “movidas”, isto não é evidência. Eu vou lhes dizer o que é evidência: A casa, os ca-samentos, as famílias.
Juízes 17:6 “Naqueles dias, não havia rei em Israel; cada qual fazia o que achava direito aos seus olhos.”

Se eu converso com as pessoas – porque eu converso com várias – e encontro um homem de Deus que criou filhos reverentes a Deus, eu vou e me apego a ele. Mas, na maioria dos casos, sabe o que eu descubro? As pessoas com quem eu converso na igreja são todos ligados a fábulas profanas e socio-logia, e isto, e aquilo, e qualquer outra coisa, cada qual o que acha mais reto e não conseguem me dar sequer um versículo bíblico. Mas sempre que tenho a oportunidade de encontrar um homem e uma mulher que adequaram a si mesmos e à sua família de acordo com as Escrituras, a diferença é esma-gadora.

Quando estou em um avião, adoro fazer isto. Homens sentam ao meu lado e depois começam: “O que você faz?”
E eu: “Ah, sou casado.”
E eles: “Ah, o que mais você faz?”
“Ah, eu sou pai.”
“E o que mais você faz?”
“Bem, se eu tiver algum tempo livre, eu prego um pouco.”

O que importa se um homem ganhar o mundo inteiro e perder sua família? E deixe-me colocar dessa forma: Baseado no que você cria seus filhos e ama sua esposa? Baseado em quê? Se você não consegue ir às Escrituras, agora mesmo, pegar os versículos e me mostrar como sua família está fundada nela, eu posso lhe assegurar, você é cativo da psicologia, da sociologia, dos caprichos e das mentiras deste século.
Veja bem, você não tem o direito de fazer isso. Você não tem autoridade, senhor, separado da Palavra de Deus.

Veja Gênesis 18:19. “Porque eu o escolhi para que ordene a seus filhos e a sua casa depois dele, a fim de que guardem o caminho do SENHOR e pratiquem a justiça e o juízo; para que o SENHOR faça vir sobre Abraão o que tem falado a seu respeito.”

Não é lindo?

E preste atenção, Romanos capítulo 12, versículos um e dois. Bem, o versículo dois nos conta que a vontade de Deus é perfeita. Então, sempre que lhe sobrevier a idéia como um homem de Deus que “estou sacrificando minha família para o bem do ministério”, vou lhe dizer que você um mentiroso de cara lavada. Você está sacrificando sua família pelo bem do pequeno reino que você está tentando construir, porque a vontade de Deus é perfeita. Isso significa que eu não tenho que violar a vontade de Deus no que diz respeito à minha família, a fim de cumprir a vontade de Deus no que diz respeito ao ministério.

Deus não precisa de você. Ele deseja sim que você seja obediente. Que você seja obediente.

Só quero lhe dar dois exemplos. É quando alguém me perguntou uma vez: “Irmão Paul, você é contra o evangelismo?”

Eu disse: “Sim e não. Eu não sou contra o evangelismo bíblico, mas sou contra a forma com que você está evangelizando.”
“Você é contra Escola Bíblica Dominical e grupos jovens?”

“Sim e não.”
Quero lhe explicar uma coisa. Agora, por alguns de vocês eu não vou ser suficiente e para alguns de vocês eu vou ser demasiado. Eu só quero usar duas estas coisas para apontar o que está errado co-nosco:

Escola Bíblia Dominical. Não importa de qual denominação você faz parte, se você faz parte de alguma denominação que é de alguma forma organizada, posso lhe assegurar que sua denominação gasta milhões de dólares com material para Escola Bíblica, milhões de dólares em conferências, em ensinar professores a ensinarem na Escola Bíblica, em fazer tudo o que está na regra para promover a Escola Bíblica. Isso é um fato.

Deixe-me perguntar-lhe: Quanto dinheiro sua denominação gasta e quantas conferências e horas de trabalho são disponibilizadas para ensinar pais a ensinarem seus filhos? Então agora você percebeu, não é mesmo? Deus não tem um plano B. Ele tem um plano A. Vocês malograram o plano A. O plano B não funciona.

Não estou dizendo que as crianças não podem se unir em grupos, serem examinadas ou ensinadas ou qualquer coisa, mas se isso começar a sugerir a substituição do ministério do pai no lar exploda em pedaços.

Entende o que estou dizendo? Olhe apenas para este pequeno exemplo: “Tudo pela Escola Bíbli-ca, tudo pela Escola Bíblica.” Mas há dificilmente uma conferência em todo o país para ensinar homens a educarem seus filhos. E, na maioria das vezes, a Escola Bíblica não é nada mais que entretenimento, pois o professor de Escola Bíblica não tem a autoridade para disciplinar seus filhos. E ainda que tivessem, não fariam, pois não acreditam nisso.

Esse é apenas um pequeno exemplo. Vamos olhar para os grupos jovens.

“Bem, a juventude precisa estar junta. Você sabe, eles precisam estar juntos.”

Tudo bem, vamos ver. Provérbios 13:20. “Quem anda com os sábios será sábio, mas o companhei-ro dos insensatos sofrerá aflição.”

Quem alguma vez lhes disse que a juventude deve estar junta? Quem já lhes disse isso? Eu vou di-zer-lhes quem disse isso: Psicólogos da década de 60. Separação entre as gerações. A juventude deve permanecer com os adultos para que parem de agir como tolos rebeldes e unam-se à maturidade, deixando de lado a tolice a qual leva à destruição.

Com isso, não digo que vocês não podem unir a juventude, mas, caso o façam, sugiro que te-nham os pais junto a eles.
E você diz: “Bem, e quanto à juventude perdida que chega à nossa igreja?”

Bem, o que eles estão vendo agora? A juventude perdida chega à sua juventude cristã na igreja e vê quase o mesmo que vê em sua própria casa: Sem pais e crianças ensinando crianças, ou um cara um pouco mais velho com gel no cabelo ensinando seus filhos.

Mas o que aconteceria se a juventude perdida chegasse a sua igreja e eles vissem as crianças lá, a juventude em um relacionamento amável e maravilhoso coletivamente com seus pais. Então, eles diriam: “Nossa. Nunca vi nada como isso antes. Olha só o pai dele. Ele ama… Quero dizer, ele ama o pai dele. Quero dizer, olha só... Então isso é o Cristianismo?”

Veja, meu querido amigo, vamos dizer… Eu não sou nenhum médico, mas um homem vem a mim com um sangramento na testa e diz: “Irmão Paul, eu já fui a todos os lugares. Ninguém consegue diag-nosticar meu problema.”
E eu digo: “Bem, eu não sou médico, mas vou segui-lo por 24 horas.”

E eu noto que sempre que o relógio soa, soando uma hora, ele bate em sua própria cabeça com um tijolo uma vez. Soando duas horas, ele bate com um tijolo em sua própria cabeça duas vezes. So-ando 12 horas, ele bate 12 vezes em sua própria cabeça com um tijolo.

Após observá-lo cautelosa e cuidadosamente, fazendo anotações por 24 horas, eu vou a ele e digo: “Sabe, acho que descobri qual o seu problema. Não sou médico, mas acho que descobri qual o seu problema.”

É patético dessa forma entre nós, igreja. Por que nossos filhos fazem o que fazem? Por que tudo é...?

É como um velho querido santo. Alguém o questionou uma vez por que ele não deixaria seu filho adolescente sair com uma jovem moça para um lugar reservado. E disseram: “Você não confia em seu filho?”

Ele disse: “Não, eu não confio em meu filho. O que o fez pensar isso? Eu não confio em seu pai. Eu não deixaria o pai dele sozinho com uma mulher que não fosse sua esposa e tenho muito mais a perder que o menino. Tenho muito mais controle sobre minha própria vontade do que um adolescente com hormônios raivosos. O que o fez pensar que eu o deixaria?”

Nós violamos princípios bíblicos após princípios bíblicos após princípios bíblicos e depois imagina-mos por que está tudo uma bagunça.
Para finalizar, apenas uma passada bem rápida comigo... Vocês sabem que quando eu digo “bem rápido”, eu vou fazer alguma comparação.

Vá até 1 Timóteo. Há alguns meses atrás eu estava ouvindo sobre todas as coisas horrendas que estavam acontecendo com nossa — não sei como vocês chamariam agora: república, democracia, país, realmente não tenho certeza, estado socialista — e eu estava tão sobrecarregado que sentei lá ouvindo e eu estava dizendo: “Deus, o que eu posso fazer? Agora mesmo, Senhor, honestamente com tudo o que há em mim eu pularia no meio do fogo. Eu vou... Se houver um rinoceronte atacando, eu pularei na frente dele. Apenas me diga o que fazer. Tu queres que eu vá para Washington e apenas fique em pé diante da Casa Branca e pregue até que me atirem na cadeia? Estou cansado de pregar apenas para cristãos e em igrejas e tudo mais. Deus, apenas... O país está indo para o Inferno. Apenas me atire. O que queres que eu faça? Apenas me atire a eles.”

Versículo um do capítulo quatro: “Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé,” 1 Timóteo 4:1, “dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de de-mônios.”

Agora, ele segue basicamente contando ao jovem Timóteo que todo o Inferno irá se manifestar na cultura, que tudo será simplesmente enlouquecedor. Homens como feras.

Eu estive com Conrad Mbewe há alguns meses atrás e o ouvi pregar. Chamam-no de Spurgeon da África e muito justamente. Se você tiver a chance de ouvi-lo, ouça. Ele é um dos meus pregadores favoritos no mundo. Ele disse isto:

Ele disse: “Na África não temos mais medo das feras. Nós não corremos das ferras. Nós tememos homens e corremos de homens.” Ele estava falando, é claro, da depravação. Mas ele disse ainda que: “Só o mundo irá perder o controle, Timóteo.” Agora, o que ele diz também? Versículo seis: “Expondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro de Cristo Jesus, alimentado com as palavras da fé.”

E bem aqui, este texto recém começa a se desatar para mim. É, Paul, o mundo perdeu a cabeça. Tudo vai acontecer. Está sob minha Providência, mas ouça-me. Aqui deveria ser sua reação em meio à manifestação de todo inferno, em meio à apostasia, em meio à perseguição. Eis o que você precisa fazer: Esteja constantemente alimentado com as palavras da fé.

Nós sempre queremos correr lá fora e fazer alguma coisa. Queremos consertar alguma coisa. Deus está em busca de homens de caráter, educados, fortes. Em primeiro lugar, filho, seja “constantemente alimentado com as palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido.”

Este “que tens seguido” é muito importante. Penso que está nos indicando que um simples estudo intelectual da Escritura não irá alcançar o objetivo que Deus tem para seus homens. Eles devem obe-decê-la. Devem começar a segui-la. Você não pode aprender bem a doutrina até que siga a doutrina que aprende.

E então, ele diz isso. Diz: “Mas rejeita as fábulas profanas e de velhas caducas.”
Meu querido amigo, deixe-me contar-lhe uma coisa. Toda essa coisa de Igreja Emergente, muito desse negócio de Crescimento Eclesiástico, tudo o que há de sensibilidade cultural, jogando pela janela a sensibilidade a bíblia, é apenas um punhado de menininhos querendo brincar de igreja sem o poder de Deus em suas vidas. E vou manter essa opinião.

É um pouco menos que Davi tentando se ajustar à armadura de Saul. Pouco me importa.

Quanto mais você confia no braço da carne, menos você verá o poder de Deus.

Ele diz isto: “Exercita-te, pessoalmente, na piedade.” (1 Timóteo 4:7)
Homem de Deus, você quer renovação. Eu também. Entretanto, nós precisamos de um exército. Se espadas poderosas, força, apitos flamejantes, espadas e armamento cairão do céu para que nós lutemos, então precisamos ser o tipo de homens que possam arcar com tais coisas, manejá-las e lutar com elas com caráter ressonante. Devemos nos disciplinar pelo propósito da piedade.

Jovens, disciplinem-se a orar. Disciplinem-se à leitura sistemática das Escrituras de Gênesis a Apo-calipse diversas vezes. Disciplinem-se no seu discurso. Disciplinem-se nas companhias que mantêm. Dis-ciplinem-se no seu deitar e no seu levantar. Isto é uma guerra. Disciplinem-se.
Jovens, posso lhes dizer uma coisa: A menos que você seja uma exceção, nascido na geração que você nasceu, se você tem menos de 30 anos de idade, aliás, até mesmo menos de 40, você pro-vavelmente carece de disciplina porque você nunca foi obrigado a trabalhar. Você nunca teve que trabalhar por sua comida e seus pais nunca o fizeram trabalhar tanto até seus ossos chorarem.


Os homens que mais têm realizado e sido usados por Deus têm sido homens de trabalho no ministério. Isso é duro e vai custar-lhe tudo.
E assim que você for um homem velho, estará quebrado, mas forte nas coisas de Deus.

Exercita-te, pessoalmente, na piedade. Pois o exercício físico para pouco é proveitoso, mas a pie-dade para tudo é proveitosa, porque tem a promessa da vida que agora é e da que há de ser. (1 Timó-teo 4:7b, 8)

Ah, meus queridos amigos, quem se importa com uma vida melhor agora? Eternidade. O dia em que você se põe de pé naquele salão de granito diante do Senhor da glória, e reis e os maiores homens na terra são divididos, partidos e selecionados, alguns lançados no inferno eterno, e alguns convidados à gloriosa vida eterna para sempre.

Esses atletas olímpicos, quão majestosos são, mas somente por um momento. Eles começam a treinar quando têm quatro ou cinco anos de idade. Eles nunca fazem nada senão treinar até que te-nham 22 anos. Correm uma corrida de nove segundos por uma medalha que carregam pendurada, e é isso. Você não pode dar o mesmo pelas coisas eternas?

Alguns dos maiores homens de Deus são homens muito limitados em seus corpos. Foram tão limi-tados em suas habilidades que tiveram que focar em apenas uma coisa: O ministério.

“O exercício físico para pouco é proveitoso.” (1 Timóteo 4:8)

Fiel é esta palavra e digna de inteira aceitação. Ora, é para esse fim que labutamos e nos esfor-çamos sobremodo, porquanto temos posto a nossa esperança no Deus vivo. (1 Timóteo 4:10)

Isto não é um martírio ao qual inutilmente damos nossas vidas por nada, apenas para sejamos pulverizados sem esperança. Não. Servimos a Deus e Deus nos honrará. Nós colocamos nossa esperança nisso e isso nos dá força. Força.

Ah, esta vida é um vapor. Eu tenho 47 anos, mas ontem eu tinha 21. Para onde tudo isso foi? É um vapor! Enquanto você tem força, pregue. Eu louvo a Deus, pois por sua providência, enquanto eu era jovem, passei minha vida nas montanhas dos Andes e nas selvas do Peru fazendo o que eu não tenho mais força para fazer.

Enquanto você é um jovem, enquanto há força em você, trabalhe com toda a sua energia. Pegue aqueles estúpidos jogos de vídeo-game que você tem e esmague-os com seus pés. Jogue a TV pela janela. Você foi feito para coisas maiores que essas.

Se você é um filho do rei, nada nesta terra pode satisfazê-lo. Nada.

“Ordena e ensina estas coisas.” (1 Timóteo 4:11)
Agora, há muito aqui, mas olhe no versículo 15: “Medita estas coisas; ocupa-te nelas, para que o teu aproveitamento seja manifesto a todos.” (1 Timóteo 4:15)

Vamos dizer que numa mesa de madeira meu filho derrama um copo d’água. E, pela lógica da natureza, as leis que Deus colocou nela, a água acumula um pouco na mesa, o suficiente para que você possa ver uma poça. Você passa por ali e diz: “Há água derramada na mesa.” É evidente para todos.

Mas então eu passo por ali, pego uma toalha, passo sobre a poça de água derramada e a sus-pendo. E você diz: “Não vejo mais água nenhuma. Onde está?” Foi absorvida pela toalha.

Homens, vocês devem estar absorvidos nessas coisas de piedade e caráter. Homens, eu rogo a vocês. Escutem-me. Isto é muito importante. Vocês não são garotos de recado. Não é para vocês des-perdiçarem seus dias limpando os narizes de crentes carnais. Dediquem-se aos seus estudos. Bebam profundamente. Sejam tão absorvidos no conhecimento e na intimidade com Deus que as pessoas di-gam: “Onde ele está? Ele costumava ser um homem tão notável na cidade, um amigo de todos, uma figura. Onde ele está?” Ele está ocupado nessas coisas.

Nós somos homens de Deus. Somos ministros do Altíssimo. Deveria haver uma alteridade sobre nós. Devíamos ter um olhar de contemplação em direção a um ganho distante. A maior coisa que podemos fazer pelo nosso povo é sermos homens de Deus ocupados nas coisas de Deus para que quando abrir-mos nossas bocas, a Palavra de Deus saia.

Na igreja que freqüento, Jeff Noblett é o pastor principal. Ele sempre se dedicou aos estudos, mas quando cheguei lá, conversei com ele e conversei com outros líderes. E sempre que alguém me per-guntava alguma coisa, eu dizia: “Por favor, façam isto: tomem o quanto puder do fardo do irmão No-blett e deixem que ele viva para o estudo com Deus, pois tenho filhos aqui. E o maior presente que a-quele homem poderia me dar é estudar para se apresentar aprovado e vir ao púlpito no poder do Espí-rito Santo e proclamar: ‘Assim diz o Senhor,’ corrigindo e repreendendo, anunciando grandes promessas e advertências. Por favor, façam isso por mim.”

Pastor, por favor, faça isso pelo seu povo, porque Ele diz: “Tem cuidado de ti mesmo e da doutri-na. Continua nestes deveres; porque, fazendo assim, salvarás tanto a ti mesmo como aos teus ouvintes.” (1 Timóteo 4:16)

Vamos acabar logo com isso. Esse versículo significa quase nada na comunidade evangélica hoje. Quantos pastores e pregadores você pensa que tomam isso seriamente: “Eu preciso ter cuidado de mim mesmo para garantir a salvação para mim e para aqueles que me ouvem”?
Eu tenho uma pergunta, pastor: Quando foi a última vez que você examinou sua própria vida para ver se você está na fé, para ver se você realmente O conhece?

Veja, meu querido amigo, eu tenho grande certeza quando estudo minha própria conversão, quando a discuto com outros homens, quando olho para os 25 anos da minha peregrinação com Cristo. Tenho total certeza de O ter conhecido. Mas até mesmo sei se eu fui desviado da fé, e se fui embora, e se continuo indo naquela direção, para a heresia e o materialismo.

Essa poderia ser a maior das provas de que eu nunca O conheci. Que a coisa toda tenha sido um trabalho da carne. Eu sei que o que estou dizendo está sendo marcante para você. Você pensa: “Meu Deus, eu nunca ouvi tal coisa.” Essa é o antigo caminho. Leia O Peregrino ¹.

“Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salva-rás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem.” (1 Timóteo 4:16)

Que Deus abençoe Sua Igreja.

FONTE: o abençoado blog http://voltemosaoevangelho.blogspot.com/

0 bereianos:

Postar um comentário