quinta-feira, 6 de agosto de 2009

A esperança é a última que morre


A esperança é a última que morre"

Esperança, diz os léxicos: "Ato de esperar o que se deseja. Expectativa, espera. Fé, confiança em conseguir o que se deseja. Aquilo que se espera ou deseja: simbolizada por uma âncora" (Dic. Aurélio).

Essa é a conotação da palavra. Algo subjetivo, que existe no coração das pessoas. Denota um desejo interior arraigado no coração.

A esperança neste caso é algo que morre em último lugar. Isso quer dizer que talvez não se consiga alcançar os seus objetivos pelos quais lutara crer por toda uma vida!

Para os cristãos, esperança é mais do que o "ato de esperar o que se deseja", ou "espera".

É "Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e a caridade, estas três; mas a maior destas é a caridade" (1 Co 13.13).
Alguém disse bem quando afirmou "O amor alimenta a esperança, mas a esperança é essencial para o amor."

A esperança é a última que morre", e a esperança do crente já morreu!!!
Sim queridos Ela já morreu!!!

Conta-se que, num lugar,
Havia quatro velas, todas bem acesas. Porém, a primeira, chamada Paz, disse para as outras: "Apesar da minha luz, as pessoas não conseguem me manter acesa. Acho que vou meapagar. E, lentamente, foi diminuindo, até apagar-se. A segunda vela, chamada Fé, disse: "Infelizmente, sou muito supérflua. As pessoas não querem saber de Deus. Não tem mais sentido permanecer acesa". Ao terminar de falar, um vento passou lentamente, e a apagou.

A terceira,
chamada Amor, disse: "Não tenho forças para continuar acesa. As pessoas me deixam de lado, e não percebem o peso disto. Se esquecem até daqueles que estão perto e as amam". E sem esperar, se apagou... De repente, entrou uma criança, e viu as três velas apagadas. - O que é isto? Vocês deviam queimar e estar acesas até o fim"! E, dizendo isto, começou a chorar. A quarta vela, então, falou: "Não tenha medo, menino. Enquanto eu ainda tiver fogo, podemos acender as outras velas.

Eu sou a esperança"! Então, o menino pegou a quarta vela e começou a acender todas as outras.

A estória termina, conclamando: Não deixemos que a esperança se apague em nós.
E a esperança em nós já morreu, eu disse; Sim Ela já morreu!!!

É interessante a ilustração. Aplicando às nossas vidas, como cristãos, mais razão temos para valorizar a esperança, pois, enquanto a esperança humana "é a última que morre", a esperança do crente sincero não morre.

Ela não pode morrer. Ela já venceu a morte! Já morreu, mas ao terceiro dia ressuscitou!!! Oh glórias!

Nossa esperança tem nome. Seu nome é Jesus Cristo!

Diz a Bíblia: "Paulo, apóstolo de Jesus Cristo, segundo o mandado de Deus, nosso Salvador, e do Senhor Jesus Cristo, esperança nossa"(1 Tm 1.1); "retenhamos firmes a confissão da nossa esperança, porque fiel é o que prometeu" (Hb10.23).

Se colocamos a nossa esperança nas coisas desta vida, poderemos nos decepcionar, pois tudo passa, tudo é falho, na dimensão temporal. O homem é falho, as coisas são falhas.

Mas "fiel é o que prometeu". Esse que é fiel é nosso Senhor Jesus Cristo, "esperança nossa".

E a esperança do Cristão, não é a última que morre, mais sim aquela que ao terceiro dia ressuscitou!!!
Graça e Paz!

Miss. André Cardoso

0 bereianos:

Postar um comentário