segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Pedófilos expandem seus domínios na net

Pedófilos expandem seus domínios na net

Por Dmitry em Quinta-feira, 1 de Janeiro de 2009, 14:47

Marcadores: , , , , , , ,

pedofilia Enquanto no mundo real diversas ações estão sendo feitas para combater a pedofilia, na Internet eles aproveitam para difundir suas idéias e angariar novos membros. Mas não pense que a ação deles fica restrita a troca de imagens e alguns papinhos. O crescimento do movimento pedófilo já está começando a refletir no mundo real.

Dois grupos de amigos online estavam discutindo o mesmo assunto em locais diferentes. É que com a aproximação do verão no hemisfério norte, eles começam a procurar trabalhos em colônias de férias para crianças. Enquanto uma pessoa de um grupo queria saber de campos para meninas procurando funcionários, outro comemorava ter sido admitido em uma colônia para garotos.

Entre os comentários dos participantes estavam coisas como: “Espero que você veja garotos pelados na sua cabana”. Ele completa desejando “boa sorte se segurando para não fazer nada”. Os dois grupos são de pedófilos assumidos, um onde os membros gostam de meninos e outro para os que se interessam em meninas.

O que inicialmente tinha apenas o objetivo de trocar imagens se tornou algo muito mais perigoso. Entre os tópicos estão dicas para que eles cheguem perto de crianças seja em colônias de férias, como pais adotivos ou em empregos que lhes deixem perto das crianças.

Entre as tecnologias usadas está o IRC, onde eles conversam sobre si mesmos. Os pedófilos acham que são a vanguarda de um movimento nascente pela legalização da pornografia infantil e pelo fim das leis de menoridade. Eles dizem lutar pelo direito das crianças de fazerem sexo com adultos.

Eles comemoraram muito em maio a criação de um partido político nos Países Baixos (Holanda e outros) que defenderia seus direitos. O mais impressionante foi que em novembro uma corte reconheceu o direito do partido existir.

Mesmo que as discussões online não sejam ilegais, é difícil separar as coisas, pois quando falam entre si, os pedófilos encaram a si próprios e a seus impulsos como coisas normais. Isso serve inclusive de incentivo para aqueles que só pensavam no assunto, mas nunca tinham levado sua atração por crianças às últimas conseqüências.

Nesta comunidade virtual eles trocam experiências de sua vida pessoal. Entre os trabalhos estava o de DJ em festas infantis (“uma grande concentração de belas crianças”), enfermeiro(a) pediátrica (“você vê muita coisa, mas não pode tocar”), professor de piano (“eu poderia contar histórias que fariam você…”), empregado de um parque aquático (“roupas de banho e mais roupas de banho”) e até mesmo um pediatra especializado em ginecologia (“acho que não preciso dizer mais nada”). Entre parênteses estavam trechos do que os próprios diziam de seus trabalhos, se vangloriando para outros com o mesmo interesse.

Mas o emprego mais comum apontado pelos pedófilos é o de professor. Diversos profissionais trocam suas experiências com seus alunos, coisas que eles observam e algumas até mesmo com caráter sexual. Como um deles descrevia como um de seus alunos da segunda série do ensino básico segurava a própria virilha. O professor acreditava piamente que se tratava de um gesto sexual, mesmo quando um participante perguntou se não seria porque o garoto queria ir ao banheiro.

Na maioria dos fóruns online os pedófilos condenam os estupradores violentos e se dizem tristes por serem comparados a este tipo de criminoso. Muitos acreditam estar espiritualmente conectados às crianças e que a relação sexual é irrelevante. Mas isso não impede que diversas vezes o assunto do sexo com crianças ou sobre pornografia infantil seja trazido à tona.

Nos sites muitos deles descrevem situações onde eles são provocados por crianças “predatórias”. Uma menina que mostra a calcinha ao fazer uma estrela, ou um garoto que está deitado na praia com as pernas abertas usando uma sunga de banho e uma criança que brincando pula no colo de um adulto. Todas estas seriam situações onde as crianças estão tentando sexualmente a pessoa.

Outro tema muito abordado é como se manter anônimo na net e maneiras de trocar imagens sem ser pego.  Esta preocupação é bastante comum entre eles, uma vez que diversos meios de identificar pedófilos na net estão sendo usados para que prisões sejam feitas.

Entre os tema pessoais tratados alguns deles descrevem como tiveram acesso a crianças através de suas próprias famílias. Outros dizem como se aproximaram de enteados por causa de casamentos com mulheres que já tenham filhos. Alguns pedófilos que são pais descrevem momentos íntimos que tiveram com seus próprios filhos, como no caso de um homem que descreveu o momento que seus filhos se trocavam para ir nadar com detalhes dos pelos pubianos recém nascidos do filho mais velho.

Mesmo que outros afirmassem que nunca sentiram nada pelos seus filhos a maior parte reconheceu os “benefícios” da paternidade. Um homem disse que “tem uma filha e nunca sentiu nenhum interesse por ela”, mas que “achava suas amigas muito interessantes”.

Um dos membros pergunta como poderia se tornar um pai adotivo e logo responderam que a pedofilia deveria ser escondida. “É bom você ter uma desculpa para não ser casado, como por exemplo a morte de uma noiva em um acidente de carro”. Foi recomendado que ele tivesse relacionamentos com diversas mulheres e sempre deixasse claro o como gosta muito de crianças para a sociedade. Isso poderia ser usado em futuras entrevistas para a adoção.

Mesmo que os pedófilos concordem que os parentes e pessoas próximas sejam os principais abusadores de menores, eles nunca se dão conta de que em suas histórias, na maior parte das vezes, estão descrevendo momentos íntimos com parentes e filhos de conhecidos.

Entre eles nem todo abuso é mesmo um abuso, sendo que alguns até mesmo condenam o estupro. Mas o ato de molestar uma criança muitas vezes é celebrado como um ato de amor.

“Minha filha e eu temos um relacionamento próximo e saudável”, afirma um homem em um site. “Nós temos ‘um relacionamento sexual e consensual’ há quase dois meses”, ele completa. A garota tem 10 anos e qualquer sentimento de culpa que ele poderia ter some ao ver as repostas ao seu depoimento. Em outro momento ele diz: “Estou tão feliz em ter achado este site” e completa afirmando que pesava estar errado em ter desejo sexual por sua filha, que agora não se sente culpado ou em conflito.

Isso é só um exemplo do que é mais perigoso nesta comunidade virtual. Como um justifica e glorifica o ato do outro, a culpa se vai. Isso também serve para criar coragem naqueles que apenas pensavam  mas não executavam nenhum ato real contra crianças.

Nestas comunidades a visão de que o pedófilo faz um mal aos menores é apagado, eles passam a ver as crianças como pessoas que querem estas relações e que na verdade estão lutando pelo direito delas em ter relações sexuais com adultos.

Entre os pensamentos mais comuns estão o de que os pedófilos são um benefício para as crianças, que elas são psicologicamente capazes de consentir nos atos sexuais e que na verdade elas são manipuladas pelos terapeutas e psicólogos para acreditarem que estes encontros com adultos são danosos. 

pedofilia presoUm dos freqüentadores desta comunidade é Phillip J. Distasio (foto), que foi preso pelo estupro de dois menores autistas que eram seus alunos. “Sou um pedófilo há 20 anos”, ele afirmou na corte. “O único motivo pelo qual estou sendo processado é porque ninguém acredita que uma criança pode desejar o sexo”. Nos dias que se seguiram muitas pessoas nos fóruns online afirmaram que ele estava certo, mesmo se tratando de dois pré-adolescentes autistas.

A mesma lógica é usada quando o assunto é a legalização da pornografia infantil. Nisso muitos pais são retratados como autoritários e supressores da liberdade sexual de seus filhos. O movimento anti-pedofilia é apresentado como algo que não pretende defender as crianças, mas sim seus pais espancadores.

O movimento da pedofilia legal já está sendo orquestrado. Em um site havia um depoimento onde o participante descrevia sua vontade em abusar de um bebê. Rapidamente veio uma resposta dizendo que este assunto não deveria ser discutido ali, pois os sites servirão como prova de que os pedófilos só querem mesmo cuidar do melhor interesse das crianças. Este tipo de post seria muito perigoso para a Causa.

A mais nova arma dos pedófilos é um livreto que pode ser encontrado na net e impresso por qualquer um. Ele é direcionado a “qualquer garoto que conseguir ler” e se chama “Uma conversa direta com garotos”. Em suas 18 páginas são abordados temas sexuais, particularmente entre crianças e adultos, do ponto de vista dos pedófilos. Os encontros entre crianças e adultos são descritos como inofensivos e até mesmo benéficos.

O livro critica pais e terapeutas, além de lembrar que seus encontros com adultos nunca devem ser discutidos com seus familiares. “Pessoas mais velhas podem ter medo de serem pegos fazendo brincadeiras sexuais com você porque eles podem ir para a cadeia”. “Então você precisa pensar em uma maneira de sinalizar que está interessado em outra pessoa sem que nada seja dito abertamente”. “Ninguém deve saber sobre o que você concorda em fazer”. Estes são alguns trechos do livreto.

Também é abordado como ele deve ser distribuído por pedófilos. “A melhor maneira é deixar uma quantidade dos livretos em um lugar onde garotos de 8 a 14 anos possam achá-lo e que os adultos não encontrem rapidamente”. “Obviamente você não quer ser encontrado colocando os livretos em lugar nenhum”.

pedofilia simbolosAté mesmo jóias foram criadas para identificar quem é um pedófilo. Assim eles podem saber na rua quem tem um pensamento semelhante. Na imagem ao lado você identifica na primeira linha os que gostam de meninos (BL – boy lovers), na segunda os que gostam de meninas (GL – girl lovers) e na última estão os que preferem crianças em geral e por fim o do ativismo online pela pedofilia.

No Brasil a pedofilia em si não é um crime, porém o atentado violento ao pudor, o estupro e a pornografia infantil são crimes. A melhor arma contra este tipo de pessoa é a denúncia, que pode ser feita através do Disque 100, que funciona diariamente das 8h às 22h. A ligação é gratuita e sigilosa. Além deste serviço você pode denunciar através do Ministério Público, Interpol (através da Virtual Global Taskforce) e Polícia Federal.

Espero que aqui no Brasil o movimento dos pedófilos não chegue a atuar tão fortemente no mundo real como anda acontecendo na Europa e EUA, mas sei que infelizmente está acontecendo e eles são responsáveis pelo rapto e abuso de crianças todos os anos. Tenha consciência e não deixe de denunciar quando se deparar com um site ou pessoa praticando ou incentivando a pedofilia. Os pedófilos não são doentes ou coitadinhos. Destroem vidas de crianças e familiares em nome de uma atração sexual distorcida.

Fonte: New York Times, Campanha Nacional de Combate à Pedofilia na Internet

0 bereianos:

Postar um comentário