segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

A SAUDADE INDIZÍVEL

A SAUDADE INDIZÍVEL
por Juliana Ayres

Amizade1.jpg


Amiga,
 
Chorei ontem a sua ausência, era a saudade batendo, querendo vir à tona
Ela bateu, doeu e quis sair, dar à luz
Ah, já tinha me esquecido como sentir saudade é ruim
Mas ao mesmo tempo bom porque sabemos como Deus nos dá amizades preciosas
E como não queremos ficar longe um segundo
É como se eu sentisse saudade de mim
Porque você sou eu, porque você faz parte de uma parte do meu EU
Mas me encontrei numa tarde de sábado pela Sé
Eu sabia que era eu, quase o mais profundo do meu EU, se um dos meus "eus", que é você, não estivesse longe
 
Tenho outros "eus" que encontro pelo caminho que Deus traçou pra mim
O "eu" é tudo o que faz parte do meu EU
Ou seja, tudo o que sou EU
Que já faz tudo o que está em mim
O MIM sem o EU não há
E o EU sem o MIM já era
 
Você faz parte do meu EU mais amado, da família, da amizade fiel, da sinceridade, da irmã, do ombro amigo, da exortação, do puxão de orelha
 
Àh, pena que não é todo dia que encontramos jóias assim
Jóias de amizade, raridade
É pena que tão poucos são sorteados assim, na poderosa mão de Deus
 
Vi uma frase que me lembrou você e mamãe, minha mãe
"A ausência de defeitos é uma coisa rara e bela"
São poucas as pessoas que admiro na terra
E vocês são duas delas
Duas pessoas que controem uma parte da parte do meu EU
 
É bom conviver com quem tem mais qualidades que defeitos
As dores ficam menos doídas
 
Amiga,
 
A saudade que sinto agora é algo indizível, infalível, incorruptível, irreversível, intransferível, intangível, intocável
 
Enfim, saudades.

Escrito no dia 28.12.08, para minha irmã-amiga-irmã-em-cristo q está longe mas que mora perto. :o) Saudades, amiga.

0 bereianos:

Postar um comentário